Desbloquear telemóveis

A realidade hoje em dia é tão óbvia que não reparamos, mas a verdade é que dificilmente conhecerá alguém que não tem um, ou quem sabe mais, telemóveis.
Mas isto nem sempre foi assim; Por mais difícil que nos seja imaginar até à umas décadas atrás os telemóveis eram artigos realmente raros.
Entenda-se : Nada o impedia de comprar um telemóvel mas o preço era exorbitante, a cobertura duvidosa e como muitas vezes eram acompanhados de autênticas malas ninguém se referia a esses artigos como “portáteis” ou “móveis” no real sentido da palavra.

Obviamente, em 3 décadas, a tecnologia avançou o bastante e hoje em dia um telemóvel é muito mais do que, originalmente, o conceito definia; Hoje em dia o telemóvel ficou mais compacto. A antena, que anteriormente era um apêndice externo, extensível, hoje é apenas mais um dos componente numa placa de circuito impresso e graças à aplicação de modelos matemáticos como fractais, as antenas são cada vez menores em vez de extensíveis.
O avanço dos micro-controladores permitiu também melhorar o tipo de telemóvel que se tinha: Hoje em dia temos telemóveis tão potentes como os computadores de à 10, 15 anos atrás.
Acompanhado toda esta revolução também a interface com o utilizador mudou; desde os plasticos usados, à tinta que os cobre, passando pelos lcds tudo sofreu uma alteração.

Mas vejamos o “reverso da medalha”.
Quando o uso de telemóveis tornou-se ubíquo as empresas que forneciam o suporte de ligação à rede multiplicaram-se. Com o tempo estas empresas ficaram conhecidas por “operadoras” sendo responsáveis por, em troco de uma quantia periodal, manter à disposição do utilizador um acesso constante.
Rapidamente as operadoras encontraram, neste novo campo que exploravam, vários buracos legais que puderam explorar para aumentar ou manter os seus lucros.
Era fácil de constatar que, dado que um telemóvel usa um cartão SIM, nada impedia a um utilizador trocar da rede de uma empresa para um rival que oferecesse melhores tarifários.
A fim de assegurar a sua fonte de rendimentos tornou-se prática comum as empresas prender o utilizador à sua rede oferencendo-lhe um pacote na altura da subscrição do serviço: Basicamente o utilizador comprava um telemóvel na loja, quando executava a subscrição em paralelo. Com isto o cliente obtinha um telemóvel cujo firmware – o sistema de operação de um controlador embricado – estava atado ao serviço daquela operadora.
O “presente envenenado” supreendia sempre o utilizador quando tentava introduzir no telemóvel um SIM de um outro operador. O firmware recusava o SIM caso o telemóvel tivesse o bloqueio descrito e impedia efectivamente o utilizador de usar tanto o SIM novo como o seu próprio telemóvel.

Todos estes factos levaram à instauração de um novo serviço que nós também fornecemos: O desbloqueio de telemóvel.
Com o uso de informações altamente técnicas ao dispôr de um especialista é possível remover esse bloqueio e devolver a liberdade ao utilizador.
Após a remoção de qualquer um destes bloqueios que são, em suma, ilegais, o utilizador pode finalmente usufruir de todas as capacidades do seu dispositivo e, em paralelo, usar a operadora que bem entender.

Em suma, na nossa opinião, desbloquear um telemóvel é o mais acertado a fazer: É seguro, rápido e por um valor simbólico. Após o qual a sua liberdade voltará para as suas mãos.